Tricologia: a preocupação da saúde dos cabelos está ganhando mercado

0
4115
Saiba como é importante cuidar dos fios e como atuar na área
Por Márcia Moreno

O que é tricologia?

O nome pode parecer estranho. Vem da junção das palavras gregas “thricos”, que significa cabelo/pelos e “logia”, que é o estudo de uma determinada matéria. “A tricologia é o campo de estudos do cabelo”, resume Ana Carolina Ribeiro, docente da Universidade Anhembi Morumbi e da Academia Brasileira de Cosmetologia. “A tricologia é um braço da dermatologia destinada aos cuidados das alterações do couro cabeludo e da haste capilar”, explica o tricologista e cabeleireiro, Jefferson Eugênio da Silva. Ele explica que a tricologia atua em todas as doenças do couro cabeludo ( como caspa, dermatite, etc), alopecias (quedas em geral) e alterações da fibra capilar (quebra, ressecamento, etc).

Atuação do Tricologista

A área vem ganhando força em consultórios dermatológicos, clínicas de estética e em salões de beleza. “Alguns profissionais como biomédicos, esteticistas, cabeleireiros e empreendedores buscam os cursos de tricologia e/ou terapia capilar para conhecer melhor sobre o assunto e diversificar sua fonte de renda”, afirma Jefferson. E vai além: “há tricologistas em outras áreas da saúde, como endocrinologistas e nutricionistas”, por exemplo.

 

A cabeleireira e especialista em alongamentos, Lídia Oliveira, começou a se interessar pela área por se preocupar com a saúde dos fios das clientes. “Foi amor à primeira vista quando soube o que é tricologia”, afirma. “Me identifiquei muito, pois eu posso ir na causa dos problemas e tratar as patologias”, conta. Lídia está há quase 18 anos na profissão, administra um salão de beleza com 24 funcionários no bairro da Saúde, na zona sul de São Paulo. “Acredito que o conhecimento que adquiri nos cursos que fiz me deu um diferencial na hora de tratar os cabelos das clientes”. Ela treina a equipe para entender a importância de identificar os problemas capilares e tratá-los. Jefferson acredita que num futuro próximo haverá, em todos salões, um profissional formado na área da saúde capilar.

Para Ana Carolina, o interesse em tratar da saúde dos fios foi consequência também dos grandes danos causados pelas escovas progressivas, muito popular em nosso país. “Muitos estudos nasceram para conseguir minimizar estes danos”, comenta ela. Jefferson também observa que houve um limite já atingido da quantidade de químicas capilares praticadas e aplicadas nos fios e que hoje os profissionais estão ficando mais atentos com a saúde. “Há uma mudança no horizonte”, disse.

Como ser um terapeuta capilar ou tricologista?

Ana Carolina lembra que para atuar na área é necessário ter conhecimento do que está se tratando  – e assim trabalhar com segurança e eficácia. “Hoje quem entender que saúde e beleza andam juntos sairá na frente”, acredita ela. Jefferson fez uma pós-graduação em Tricologia e acredita que o Brasil está se tornando referência nesta área. “Há muitos congressos nacionais e internacionais e trabalhos científicos e acadêmicos”, diz. Lídia fez alguns cursos de terapia capilar e atualmente está se formando em Tricologia pela Associação Brasileira de Tricologia (ABT). (http://tricologia-abt.com.br). Em outubro deste ano, vai acontecer o IV Congresso Internacional de Tricologia e Ciência Cosmética, em São Paulo, organizado pela ABT e pela International Association os Trichologists (IAT) – destinado aos profissionais da área.

Comentar via Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA