Conheça a vinhoterapia

0
1144

Conheça a vinhoterapia e as propriedades da uva. A uva tem propriedades rejuvenescedoras, os polifenóis, que representam um dos antioxidantes naturais mais eficazes disponíveis ao homem. Ele ajuda a retardar o envelhecimento celular, neutralizando os radicais livres e dificultando o processo oxidativo do organismo. Os polifenóis também auxiliam no tratamento da celulite, porque tem propriedades anti-inflamatórias, e também protegem os vasos sanguíneos.

O vinho e suas propriedades rejuvenescedoras é empregado na cosmetologia, que se utiliza do produto na preparação de cremes e sabonetes a base de vinho, para tratamentos corporal e facial, a vinhoterapia.

Fique por dentro dessa novidade, leia esse post com atenção e conheça a vinhoterapia!

A vinhoterapia é um tratamento muito utilizado em clínicas fora do Brasil, e hoje também em clínicas brasileiras. Consiste na utilização do vinho em tratamentos corporal e facial, com ótimos resultados para o rejuvenescimento da pele.

vinhoterapia e benefícios da uva

Pode ser empregado para o tratamento corporal o sistema de imersão ou a utilização de cremes hidratantes e nutritivos, aplicados a uma pele esfoliada e preparada para a absorção dos componentes rejuvenescedores do vinho, aplicando-se bandagens embebidas no vinho tinto quente e uma solução termodinâmica, que auxilia na redução de medidas e combate à celulite, depois a aplicação de massagem corporal, que ajuda na absorção da pele dos nutrientes do vinho e combate o envelhecimento, estimulando a fabricação de colágeno e elastina.

A vinhoterapia também pode ser aproveitada no tratamento facial, em procedimento semelhante, com a utilização de cremes à base de vinho.
Também as propriedades do vinho podem ser aplicadas na saúde dos pés.

Você, profissional da Estética, procure conhecer as novidades e os benefícios da vinhoterapia à saúde da pele, e ofereça essa novidade em seu espaço de beleza.
Tenha certeza que seus clientes irão aprovar e trazer mais lucratividade ao seu centro de estética.

Comentar via Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA